quinta-feira, 14 de março de 2013

Dicas de um aspie para outro.

1 - A depressão deixa as pessoas assim (indolentes, sem se interessar por nada nem conseguir concluir as atividades que começou) e o TDH também.

2 - Não depressão, mas o encontro de uma alma sensível com um mundo nada ideal geram esse sentimento de melancolia.

3 - A necessidade é que faz o sapo pular: se você tem alguem que te ajuda ou que voce acha que vai te ajudar algum dia, voce acaba esperando por isso, e quando a pessoa nao tem ninguém e é obrigada a trabalhar pra nao morre de fome por exemplo, porque senao nao tem o que comer ou pagar o aluguel senao vai pra rua, aí a pessoa cria coragem.

4 - Realmente é preciso criar um sentido pra vida: além da sobrevivencia basica de trabalhar pra comer, vestir, dormir, etc., o ser humano e outros animais precisam de outra pessoa pra se sentirem completos, sejam familiares, amigos, relacionamentos amorosos, ou então uma coisa muito instigante, mas nesse caso nao sei se realmente completa a pessoa ou vá se sentir muito sozinha pra sempre.

5 - Solidão e relacionametos socias: como eu disse antes, geralmente a falta de relacionamentos sociais gera solidão e isso gera sensaçoes ruins que nem sempre sabemos que vem da solidão, e ter companhia permanente como familia, amigos, namorada, vínculos afetivos, gera bem-estar único e a meu ver nada, nenhuma coisa, coisas, não irão lhe trazer verdadeira felicidade e nada substitui as pessoas, preenhce essa lacuna, e quando voce se importa com as pessoas de verdade, voce encontra novos motivos para viver, e um deles é cuidar dessa pessoa e curtir sua companhia e compartilhar momentos banais. Procure pessoas parecidas com você na essência, tente achar pessoas compatíveis e crie sua propria sociedade, é assim nao se sentira deslocado e solitario.

6 - Lazer e trabalho - identifique as coisas que lhe traz prazer, como o lazer, musica, cinema, desenhar, hobbies, etc, e coisas que instigam voce a trabalhar e aprender sobre ela, como tecnologia, filosofia, etc, e dê real importâcia a isso e dedique-se sobre elas, gaste tempo com elas, procure se divertir realmente com elas. A vida é banal, procure fazer coisas importantes, mas quase tudo é mesmo banal, e nem por isso deixam de ser importantes, porque é isso o que temos, viver é isso neste mundo superficial.

7 - A vida é luta dura: veja que todos os seres vivos lutam todo dia pra sobreviverem, e com os humanos isso nao é diferente, mesmo disfarçada em forma de civilização, é uma selva de pedra, e viver vai ficando cada vez mais difícil e cada vez mais solitário com o tempo, por isso, não adianta muito autopiedade ou lastimar, tem de se preparar pra lutar o tempo todo.

8 - O tempo responde, bom ou ruim: é normal ter muitas dúvidas e estar perdido até uns 30 e poucos anos, e muitas respostas nunca teremos, mas o tempo vai respondendo ao longo da vida, e muitas vezes são coisas que não gostariamos de aceitar, mas que são verdade, são assim, e muitas nao vão mudar, não vao melhorar; outras melhoram sem que façamos nada.

9 - Viva agora, e 1 dia de cada vez, "Só Por Hoje": a vida passa muito rápido e muita coisa nao volta, principalmente as pessoas e a juventude, por isso, tenha paciencia com a demora das coisas, mas nao deixe pra amanha ou depois o que voce pode fazer agora, e se as coisas estão difíceis, fassa passo por passo, fase por fase, como num videogame que voce vai salvando as fases, e remoça de onde parou depois, até zerar o jogo.

10 - Faça uma lista de tudo o que voce gosta, quer fazer, objetivos, precisa, e planeje com prazos. Também escreva tudo o que sente e pensa num computador, como se estivesse falando consigo ou com alguém, e se possível, converse com alguem sobre isso, familiares ou psicologos, sem vergonha de admitir fraquezas e sentimentos, diferente de terapia, converse de forma objetiva, revelando o que sente e pensa e buscando uma solução ou melhora, pois nao adianta nada só reclamar e nao enfrentar a situação de frente.
 
FLAVIO HERNRIQUE (em uma lista aspie)
abraço a todos, FLAVIO HENRIQUE.

4 comentários:

  1. Por Suelen...

    Tenho 31 anos de idade e tenho praticamente certeza de ter esta Síndrome, pelo menos ela explica toda minha infância, adolescência e agora minha vida adulta.
    Não saio de casa, sempre acho que estou agrandando com minhas conversas depois me falam que não tinha nada a ver eu falar aquilo. Não tenho vida social e tenho uma dificuldade imensa de manter os meus vinculos de amizade...
    Fui a um psiquiatra que me deixou mais frustrada ainda: ele disse que eu estava fora da engrenagem de Deus e que eu estava desconectada do meu eu interior. E isso tudo na primeira consulta...
    As pessoas me acham fria, distante, quando na verdade não queria ser... Tenho uma dificuldade imensa em demonstrar afetos...
    Fico mais angustiada ainda quando todos falam que eu sou Aspie, que na verdade sou mimada, egocêntrica e egoista...dizem isso pelo simples fato de me acharem muuuitíssimo inteligente, e que sei me expressar muito bem, alguns me chamam até de gênia.
    Mas sei que não sou isso tudo.. quero demonstrar que tenho empatia, mas tenho dificuldade, quero falar dos meus sentimentos, mas só reconheço bem estar(que chamo felicidade) e mal estar(que chamo tristeza)

    Queria saber se alguém poderia me indicar algum médico aqui em Santa Catarina para eu sair dessa loucura que estou vivendo...

    O que mais quero é viver bem, só isso..

    Desculpa o texto longo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suelen, terapia é um bom caminho. Costumo dizer que quando a gente investe em um processo terapêutico é como se nós estivéssemos nos presenteando! Conhecer um pouco mais sobre nossas próprias vidas nos torna mais fortes!!!

      Excluir
  2. procure as ongs 'mão amiga' e/ou ama pela internet. eles podem te indicar um profissional.

    ResponderExcluir
  3. Olha gente, adorei seu depoimento Sue...E adoro este blog!
    Um muito semelhante é o Meu Mundo Aspie (colocar isto Google vai aparecer) , a autora fala sobre sua vida de asperger de maneira cômica e emocionante... Recomendo!

    Beijos!
    Karla Carovisk.

    ResponderExcluir